Voltar para a tela anterior.

Vereadores aprovam moção de contrariedade aos cortes na educação

O documento destaca que a medida compromete o futuro das próximas gerações


Manifestar repúdio ao corte de 30% no orçamento da educação, atingindo diretamente o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS), foi a intenção dos vereadores do Legislativo caxiense. A moção 5/2019 foi aprovada por unanimidade, durante a sessão ordinária desta terça-feira (14/05).

O documento destaca que a medida prejudica estudantes e compromete seriamente o ensino público e o seu acesso, que estão diretamente ligados ao desenvolvimento do Brasil. Será encaminhado aos IFRS; às Universidades Federais do Estado; ao presidente da Assembleia Legislativa do Estado; ao governador do Estado; ao secretário estadual da Educação; à bancada gaúcha na Câmara e no Senado Federal; ao ministro da Educação; ao ministro-chefe da Casa Civil e ao presidente da República.

O vereador Renato Nunes/PR acredita que o corte inviabilizará os estudos daqueles que não possuem condições para custear uma profissionalização particular, salientando que, para muitos, o instituto é oportunidade única. Na mesma linha, o vereador Gustavo Toigo/PDT ressaltou que os institutos cumprem o papel de qualificar a mão de obra e promover o desenvolvimento. O pedetista também enfatizou que a população brasileira não pode se contentar com percentual obrigatório de investimentos, na educação.

Um dos idealizadores da moção, o vereador Rafael Bueno/PDT defendeu que o setor educacional não pode ser tratado como mercadoria, pois o estudo é capaz de tirar o país da miséria, além de reforçar seu senso de soberania e emancipação. Ele realizou a leitura de um manifesto escrito pelo Grêmio Estudantil do IF de Caxias do Sul.

Os estudantes agradeceram a oportunidade de articular em defesa do instituto na Câmara Municipal, destacando as conquistas da instituição para o Brasil. Também explicaram que a pesquisa tem extrema importância, pois traz desenvolvimento econômico, tecnológico e social, revertendo o investimento de forma direta ou indireta para todo país. Eles destacaram que, sem recursos adequados, não é possível realizar projetos. “Só a educação é capaz de mudar o mundo”, defenderam.

Como alternativa para a situação, o vereador Felipe Gremelmaier/MDB sugeriu medidas que pudessem auxiliar a manutenção do IF, proporcionadas pelo poder Executivo Municipal. Explicou que é possível realizar um apoio de contrapartida, isentando a instituição de algumas taxas (como, por exemplo, valores de luz, água e lixo) por determinado período. Da mesma forma, sugeriu uma parceria, trocando a isenção por ações diversas, como publicidade e social.

O vereador Renato Oliveira/PCdoB aproveitou a ocasião para convidar a população caxiense a participar dos atos em defesa da educação, que acontecem amanhã, na Praça Dante Aliguieri. Durante a sua manifestação, informou que, às 9h da manhã e às 17h30, haverá reivindicação pública. “Esse é um momento de luta”, ponderou.

Ainda sobre os atos, o vereador Elói Frizzo/PSB destacou que a juventude, além de ir às ruas, precisa utilizar as redes sociais para se manifestar. Ele afirmou que, dessa forma, é possível evitar as chamadas notícias falsas e proteger a imagem de universidades e institutos públicos. “É preciso resistência contra o atraso que tentam instituir em nosso país”, complementou.

A vereadora Denise Pessôa/PT atentou para o fato de que os cortes atingem desde a Educação Infantil até a pós-graduação, incluindo mestrados e doutorados. Conforme ela, será extremamente difícil recuperar os prejuízos da diminuição de verbas, na área. “É algo profundo, vai atingir a educação como um todo”, lamentou.

O vereador Adiló Didomenico/PTB argumentou ser preciso ampliar os institutos, além de lutar pela criação de uma universidade federal, em Caxias do Sul. Segundo ele, também é importante garantir que o profissional formado em instituição pública possa utilizar seu conhecimento como auxílio à sociedade e a seus indivíduos.

O vereador Arlindo Bandeira/PP caracterizou esta terça-feira como um dia histórico para o Legislativo caxiense, pois o plenário estava repleto de estudantes e apoiadores da causa, além de manifestantes de outros setores. Segundo ele, é essencial que o acesso à educação seja facilitado, não prejudicado ou impedido. Aproveitou o momento para relembrar a resistência dos profissionais da educação. “Nossos professores são guerreiros”, enalteceu.

MOÇÃO nº 5/2019 (votação):

ADILÓ DIDOMENICO PTB Sim

ALBERTO MENEGUZZI PSB Sim

ALCEU THOMÉ PTB Sim

ARLINDO BANDEIRA PP Sim

CLAIR DE LIMA GIRARDI PSD Sim

DENISE DA SILVA PESSÔA PT Sim

EDI CARLOS PEREIRA DE SOUZA PSB Sim

EDIO ELÓI FRIZZO PSB Sim

EDSON DA ROSA MDB Sim

ELISANDRO FIUZA PRB Sim

FELIPE GREMELMAIER MDB Sim

FLÁVIO GUIDO CASSINA PTB Presente

GLADIS FRIZZO MDB Sim

GUSTAVO LUIS TOIGO PDT Sim

PAULA IORIS PSDB Não Votou

PAULO FERNANDO PERICO MDB Sim

RAFAEL BUENO PDT Sim

RENATO DE OLIVEIRA NUNES PR Sim

RENATO JOSÉ FERREIRA DE OLIVEIRA PCdoB Sim

RICARDO DANELUZ PDT Sim

RODRIGO MOREIRA BELTRÃO PT Não Votou

TATIANE FRIZZO SD Sim

VELOCINO JOÃO UEZ PDT Sim

14/05/2019 - 16:42
Assessoria de Imprensa
Câmara Municipal de Caxias do Sul

Editor(a): Fábio Rausch - MTE 13.707
Redator(a): Juli Hoff

Ir para o topo