Voltar para a tela anterior.

Renato Nunes destaca os conteúdos norteadores da Bíblia e do vade-mécum do Direito


O parlamentar caxiense levou os livros para a tribuna, para ressaltar que abrigam leis, porém, lamentou que uma das infrações a elas é a corrupção, a qual ocorre nas mais diversas áreas


O vereador Renato Nunes/PR ressaltou, na plenária desta quarta-feira (12/09), alguns conteúdos norteadores que compõem a Bíblia e o vade-mécum do Direito. Os livros foram levados pelo vereador até a tribuna, para destacar que abrigam leis que nem sempre são respeitadas. Lamentou que uma das infrações é a corrupção, a qual, segundo o republicano, ocorre nas mais diversas áreas e não apenas na política, como muitos cidadãos dizem.

“A bíblia contém o Antigo Testamento e o Novo Testamento. Não é apenas uma obra de cunho religioso, mas um conjunto de livros dos mais importantes, mais vendidos no mundo, mais antigos e com um resgate histórico da humanidade. Traz a política do bem e de Deus”, sublinhou.

Já sobre o vade mécum (a tradução literal dessa expressão em latim é “vai comigo” e consiste num manual de consulta e noções práticas indispensáveis ou de uso frequente) especificamente usado na esfera do Direito, Nunes salientou que abriga uma série de legislações que regem o país, como a Constituição Federal, os códigos civil, penal e tributário, a consolidação das leis trabalhistas (CLT), e os estatutos do idoso e da criança e do adolescente (ECA).

Durante sua manifestação, o parlamentar disse que as obras são constituídas por regramentos que deveriam ser respeitados pela população assim como deveria, na sua opinião, haver mais respeito às autoridades espirituais e humanas, como policiais e fiscais de trânsito. Nunes também pincelou trechos da Bíblia que se aproximam do teor de algumas leis, como o que alerta para a necessidade de cuidar das crianças, eixo central, por exemplo, do ECA.

 “Por que estou falando disso? Porque é bom fazer uma reflexão. Fala-se muito em corrupção como se o foco fosse somente nos políticos, mas a corrupção existe desde que o mundo é mundo”, afirmou, ilustrando com a passagem bíblica da criação do homem e da mulher, Adão e Eva, e a tentação do fruto proibido, no Jardim do Éden. Aproximando da atualidade, questionou por que tanta gente é multada no trânsito e por que há estudantes que insistem em colar para provas ou trabalhos. “Eu não colo, mas tem gente que gosta de colar e acha que o professor não vê. O que é isso? É corrupção. Quem vende o voto também é corrupto. Talvez não existissem políticos corruptos, se os eleitores não se deixassem corromper”, cogitou, frisando que procura ser um político sério.

Sobre a ação de políticos que ficam em Brasília, como deputados federais e senadores, ou seja, mais distantes dos cidadãos dos municípios, Nunes disse que, hoje, graças à internet, quaisquer deslizes acabam chegando ao conhecimento dos eleitores.

Em aparte, o vereador Flavio Cassina/PTB acrescentou algumas informações relacionadas à formatação da Bíblia. Disse que haveria cerca de 250 mil leis condensadas em 10 mandamentos. Também informou sobre a origem do termo “bíblia”, que deriva de “biblos”, palavra grega para papiro, cujo plural era “ta biblía”, isto é: “os livros”.

12/09/2018 - 13:19
Assessoria de Imprensa
Câmara Municipal de Caxias do Sul

Editor(a) e Redator(a): Vania Espeiorin - MTE 9.861

Ir para o topo