Voltar para a tela anterior.

Rafael Bueno lamenta deterioração do complexo da Maesa, em Caxias


Uma parte do prédio ainda é utilizada pela Voges e apresenta problemas estruturais


A deterioração do prédio da antiga Metalúrgica Abramo Eberle S/A (Maesa) foi pautada pelo vereador Rafael Bueno/PDT, durante a sessão ordinária desta terça-feira (10/07). Na manhã de ontem (09/07), a Comissão de Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação, Cultura, Desporto, Lazer e Turismo (CECTICDLT) constatou que a estrutura do local é precária e que parte do espaço ainda não foi desocupada pela empresa Voges.

Bueno, que preside a Frente Parlamentar “A Maesa é Nossa!”, destacou que a luta para que o local seja ocupado e se torne patrimônio do município iniciou em 2011, por meio de grande articulação do Legislativo caxiense. Nesse sentido, mencionou que, por sugestão da Casa, a prefeitura criou uma comissão para analisar o uso da Maesa, coordenada pela Secretaria Municipal da Cultura.

O pedetista citou que a união do movimento garantiu a doação do complexo para o município, por meio do projeto do governo do Estado, aprovado em novembro de 2014 pela Assembleia Legislativa. Mencionou diversas ações acompanhadas pelos integrantes da Frente Parlamentar, principalmente entre os anos de 2013 e 2018.

Bueno exibiu imagens da última edição do “Abrace a Maesa”, que ocorreu na tarde do último domingo (08/07), em frente à área, na Rua Plácido de Castro, no Bairro Exposição. Ele afirmou que a população luta para que a Maesa seja do povo e para o povo, e criticou a retirada do Legislativo e da União das Associações de Bairros (UAB) das discussões quanto à ocupação do local.

Ele também lamentou que tivessem sido organizadas apenas duas reuniões para discutir o futuro da Maesa, entre outubro do ano passado e junho deste ano. Defendeu a intervenção urgente da área e cobrou ações da Procuradoria Geral do Município (PGM). Adiantou que uma audiência pública deverá discutir o assunto nas dependências do Colégio Estadual Henrique Emílio Meyer, uma vez que o complexo não tem segurança adequada para a realização de eventos. “Queremos dar voz à população”, frisou Bueno.

Em aparte, Gustavo Toigo/PDT posicionou-se favoravelmente à construção coletiva e à união de forças em prol da criação de um plano preliminar para conservar a edificação.

 

10/07/2018 - 12:04
Assessoria de Imprensa
Câmara Municipal de Caxias do Sul

Editor(a): Vania Espeiorin - MTE 9.861
Redator(a): Matheus Teodoro

Ir para o topo