Voltar para a tela anterior.

Adiló Didomenico reivindica maior agilidade em podas e supressões de árvores


O vereador também se mostrou contrário a posicionamentos da direção nacional do PTB


Maior agilidade em podas e supressões de árvores, em Caxias do Sul, foi reivindicada pelo vereador Adiló Didomenico/PTB, na sessão ordinária desta quarta-feira (14/03). Ele destacou que, nos últimos dias, a Secretaria Municipal do Meio Ambiente começou a encaminhar esses processos. Atentou que o procedimento consta de lei recente, originária de projeto da autoria dele. Lamentou existirem pedidos desde 2010.

De acordo com Adiló, a morosidade, na aprovação de solicitações, poderia ser atenuada com outra proposta sua, que já tramita no Legislativo caxiense. “Proponho que, para acelerar cortes e remoções de árvores, com os devidos laudos da secretaria, proprietários possam custear o serviço. O valor gasto seria convertido em crédito, a ser abatido no IPTU devido do exercício posterior”, explicou.

O parlamentar também lamentou posicionamentos da direção nacional do PTB, partido ao qual está filiado desde 1989. A principal crítica de Adiló se voltou ao fato de, em 29 anos, a sigla ter se mantido por meio de comissões provisórias, em vez de direções constituídas. O petebista se opôs às últimas indicações partidárias ao Ministério do governo do presidente Michel Temer. Sustentou que o chamado foro privilegiado só serviria para proteger casta de maus políticos.

Em seguida, o também vereador petebista Flavio Cassina lembrou ter presidido o partido em Caxias, por cinco anos, e em caráter de comissão provisória. O vereador Paulo Perico, que preside o PMDB local, defendeu punições ao presidente peemedebista nacional, senador Romero Jucá, ontem indiciado pelo Supremo Tribunal Federal (STF). O vereador Gustavo Toigo/PDT saudou lideranças trabalhistas, como o ex-prefeito Mansueto de Castro Serafini Filho.

Ao término de pronunciamento, o vereador Adiló ainda questionou o balanço financeiro de 2017 da empresa Festa da Uva. Considerou que o suposto lucro não teria levado em conta despesas com manutenção e depreciações de patrimônio. Em complemento, o vereador Rafael Bueno/PDT disse acreditar que não houve o rendimento divulgado.

14/03/2018 - 11:08
Assessoria de Imprensa
Câmara Municipal de Caxias do Sul

Editor(a) e Redator(a): Fábio Rausch - MTE 13.707

Ir para o topo