Voltar para a tela anterior.

Escola do Legislativo promoveu painel sobre negros


Professores e alunos de instituições de ensino superior e educador social apresentaram pesquisas e trataram de inclusão


Na programação da Semana Municipal da Consciência Negra, a Escola do Legislativo da Câmara Municipal promoveu na noite de quinta-feira (23/11) o painel “O negro e as relações de trabalho: reflexões e perspectivas”. A realização foi em parceria com a Universidade de Caxias do Sul (UCS), a Faculdade Murialdo (Famur), a Uniftec Centro Universitário e o Centro de Atendimento ao Migrante (CAM).

O ciclo de palestras foi aberto com uma apresentação musical do grupo Sabar África, formado por senegaleses. Em seguida, o  diretor da Escola do Legislativo, Edson da Rosa/PMDB, que mediou o encontro, falou da importância das exposições. Ressaltou que elas servem para apresentar dados concretos sobre o negro na cidade, com informações relativas à população, ao mercado de trabalho, à situação social, entre outras. O vereador disse que a iniciativa da Escola do Legislativo e das academias tem o objetivo de colaborar com a igualdade e a diversidade entre as pessoas.

Professores e alunos das instituições de ensino apresentaram  assuntos relacionados ao tema central. As exposições foram  “Tornar visível o invisível? Alguns dados da população negra em Caxias do Sul”, com a professora Grasiela Tebaldi Toledo, da UCS, e a acadêmica do curso de História Sabriny Machado de Souza; “Inserção do imigrante no mercado de trabalho: o case de pesquisa e extensão acadêmica da Faculdade Murialdo”, com a professora Juliana Rossa (Faculdade Murialdo/Famur) e os acadêmicos de Recursos Humanos Marcelo Dal Molin e Carolina Santos.

 “O acesso ao mundo do trabalho: os desafios enfrentados pelos imigrantes” foi tratado pelo educador social Josimar Lucas do Nascimento, do Centro de Atendimento ao Migrante; O professor Emerson de Vargas, coordenador dos cursos de Processos Gerenciais e Marketing do Centro Universitário Uniftec  e a professora Caroline Tolazzi, coordenadora do curso de Gestão de Recursos Humanos Uniftec explanaram sobre “A inclusão e a qualificação para o mundo do trabalho no nosso cenário local: desafios e tarefas para todos nós”.

As exposições mostraram que o negro habita Caxias do Sul desde a época da imigração italiana. Os pioneiros eram tropeiros, vindos da Região dos Campos de Cima da Serra, onde havia escravidão em estâncias. Essa comunidade teve participação no trabalho em indústrias, na agricultura e também na cultura local, principalmente a partir da década de 1950.

As maiores concentrações de negros foram nos bairros Euzébio Beltrão de Queiróz, conhecido como Zona do Cemitério, Jardelino Ramos, popularmente chamado de Burgo, Santa Fé e Fátima. Conforme o último Censo, de 2010, Caxias do Sul tem 435.564 habitantes, sendo que 14.424 negros, que corresponde a 3,31%. O painel também mostrou ações que as instituições de ensino e o CAM desenvolvem para colocação do negro no mercado de trabalho e para inserção social.

 A Semana Municipal da Consciência Negra foi criada pelo Decreto Legislativo 50/A, de 13 de dezembro de 1996. O texto prevê que a programação envolve o dia 20 de novembro, Dia Nacional da Consciência Negra e Ação Antirracismo, e envolve, além do Legislativo, a comunidade negra.

 

24/11/2017 - 11:02
Assessoria de Imprensa
Câmara Municipal de Caxias do Sul

Editor(a) e Redator(a): Clever Moreira - 8697

Ir para o topo