Elói Frizzo acredita que falta de diálogo do prefeito é a responsável pela greve de trabalhadores da Visate


O vereador alertou para riscos de acúmulo de dívidas à Prefeitura devido ao congelamento da passagem, em R$ 3,40


Falta de diálogo do prefeito municipal, Daniel Guerra, foi apontada pelo vereador Elói Frizzo/PSB, no debate em torno da Visate, concessionária do transporte coletivo de Caxias do Sul. Na sessão ordinária desta quarta-feira (15/03), o parlamentar considerou essa ausência como a responsável pelo anúncio de greve dos trabalhadores da Visate, com início previsto para a próxima segunda-feira, com duração indeterminada.

Frizzo também alertou para riscos de acúmulo de dívidas à Prefeitura, devido ao congelamento da passagem, em R$ 3,40, a partir de contestações da Visate. “Além disso, os trabalhadores rodoviários aguardam pelo repasse do dissídio há dois meses. Deveria ter ocorrido, pelo menos, a reposição inflacionária. É provável que esse pleito vá parar na Justiça do Trabalho”, avaliou o parlamentar.

Em seguida, o vereador Adiló Didomenico/PTB salientou que não defende o aumento de passagem. Mesmo assim, trouxe dados de planilhas da Visate, pelos quais, ao não ser elevada para R$ 4,00 e ficando em R$ 3,40, o tarifa já provocaria um passivo diário de R$ 60 mil à empresa.

O vereador Flavio Cassina/PTB pediu a retomada da isenção de ISS (imposto municipal) à Visate, benefício encerrado no final de dezembro de 2016. Cassina destacou que o impacto do ISS nas passagens seria de R$ 300 mil por mês.

15/03/2017 - 11:14
Assessoria de Imprensa
Câmara Municipal de Caxias do Sul

Editor(a) e Redator(a): Fábio Rausch - MTE 13.707

Ir para o topo