Voltar para a tela anterior.

Meneguzzi trata de segurança e censo agropecuário


Vereador avaliou vinda de secretário a Caxias do Sul


 

A segurança pública em Caxias do Sul e a realização do projeto de lei do Censo Agropecuário Municipal foram os temas do vereador Alberto Meneguzzi/PSB no grande expediente desta terça-feira (14/03) na Câmara Municipal.

Meneguzzi iniciou sua explanação avaliando a presença do secretário estadual de Segurança Pública, Cézar Schirmer, na reunião-almoço de segunda-feira na Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC).

“Esperava mais do secretário, que falou o óbvio, o que todo mundo já sabe. Não acompanhei a entrega do documento dos vereadores ao secretário, porque é sempre a mesma coisa”, declarou Meneguzzi, acrescentando que outras instituições e entidades têm repassado demandas ao governo do Estado, mas não obtido soluções.

O parlamentar destacou o fato de Cezar Schirmer demonstrar em sua fala desconhecimento se a cidade tem Guarda Municipal e o apoio da CIC ao governo estadual:

“Tudo o que vem do governo Sartori, os empresário aplaudem. Tudo é aplaudido na CIC, desde que não tenha pensamento de esquerda”.

Alberto Meneguzzi expôs preocupação pelo fato de PMs do interior serem transferidos para a Capital, sem reposição em suas cidades de origem. Disse ter receio de que Caxias do Sul seja incluída nesse processo.

“Com todo respeito ao secretário, esperava alguma luz. Em janeiro, falei com o comandante do Exército, que disse estarem preparados para atuar em Caxias. Mas só agora o secretário falou em fazer pedido formal para o comando”, declarou.

O socialista também tratou do Conselho Municipal de Segurança Pública (Consepro). Comentou que no passado o órgão foi importante para vários projetos na área, mas que hoje está inativo e não há providências da CIC, uma de suas integrantes.

O segundo assunto abordado por Alberto Meneguzzi na tribuna foi o projeto de lei do Censo Agropecuário, uma reivindicação das lideranças rurais da cidade, já que o último censo ocorreu ainda nos anos 90.  Segundo o vereador, a proposta será protocolada em breve no Legislativo pela bancada do PSB.

A ideia prevê mapeamento da produção, da área de plantio, do perfil da população rural, entre outros dados. O trabalho seria executado pelo Executivo em parceria com instituições de ensino superior, escolas técnicas, sindicatos e cooperativas.

Ainda sobre o meio agrícola, o parlamentar falou sobre a baixa destinação de recursos à agricultura no município e cobrou maior empenho de vereadores da base rural . 

“O orçamento está quase na zona de rebaixamento, no 16º lugar, com apenas 0,62% em quase R$ 2 bilhões. O desafio dos vereadores é cobrar mais da administração. É hora de pensar no  futuro da agricultura”, afirmou.

Em aparte, o vereador Ricardo Daneluz/PDT, que trabalha pela população agrícola, ponderou que Meneguzzi fez colocações como se tudo estivesse errado no meio rural e citou exemplos de ações positivas. Mas o pedetista concordou que há poucos recursos e elogiou a ideia do censo.

Também do interior, Velocino Uez/PDT pediu aparte para destacar que governos anteriores conseguiram asfaltar 170 quilômetros de estradas na zona rural e que Galópolis conquistou duas máquinas novas. Disse ainda que o orçamento agrícola precisar ser maior e que o município não terá verba para realizar o censo.

Também em aparte, Elói Frizzo/PSB se manifestou sobre sua preocupação com a nomeação dos subprefeitos pela nova administração. Acrescentou que isso já se reflete no abandono de estradas e na falta de manutenção de equipamentos.

 

 

 

14/03/2017 - 13:13
Assessoria de Imprensa
Câmara Municipal de Caxias do Sul

Editor(a) e Redator(a): Clever Moreira - 8697

Ir para o topo