Pedido de informações sobre professora municipal é aprovado

Autoria do documento é coletiva e a prefeitura tem até 30 dias para encaminhar respostas relacionadas à docente Monique Emmer

Os vereadores caxienses aprovaram, por unanimidade, o requerimento 4/2020, na sessão representativa desta terça-feira (12/01). De autoria coletiva, o documento traz um pedido de informações, com destino à Secretaria de Educação do município, que tem o objetivo de saber sobre o andamento da sindicância do caso da professora Monique Varella Emmer, a qual teria disseminado discurso de ódio pelas redes sociais. A secretaria tem até 30 dias para encaminhar respostas, segundo estabelece a Lei Orgânica do município.

Entre os questionamentos, estão em qual fase anda a sindicância e quais serão seus próximos passos. Outro ponto que busca esclarecimentos é sobre o tempo de afastamento da professora. Atualmente, ela está afastada pelo período de 60 dias, com a possibilidade de prorrogação por mais 30 dias. Este prazo também é válido para a apresentação do relatório da comissão sindicante. Os autores questionam se será necessária essa prorrogação e se Monique apresentou algum atestado de saúde.

Estreante na Casa e um dos autores do requerimento, Maurício Marcon/NOVO trouxe para a plenária alguns trechos dos áudios de conteúdo odioso deferidos por Monique. Segundo o parlamentar, a professora não pode atuar na rede de ensino. “Eu, junto dos colegas que assinaram esse pedido de informações, considero que ela é uma pessoa transtornada. Uma pessoa que deseja o mal de crianças não pode de maneira nenhuma educar alguém”, afirmou.

A bancada do PT, na sessão de hoje representada pelos vereadores Estela Balardin e Lucas Caregnato (ambos professores), afirmou ser favorável ao requerimento e repudia qualquer incitação de ódio que partiu de Monique. Com base em possíveis denúncias de doutrinação comunista por parte da profissional, o líder do PATRIOTA na Câmara, vereador Sandro Fantinel, afirmou se preocupar com o que é ensinado dentro das salas de aula.

Alexandre Bortoluz/PP, que é um dos autores do documento, ao se declarar favorável, pediu que providências do caso sejam tomadas o quanto antes. “Acho um absurdo todos os fatos expostos. Nós temos que estar em cima do Executivo Municipal para que ocorra exoneração antes que comece o ano letivo”, declarou o progressista. Juliano Valim/PSD, Rafael Bueno/PDT e Zé Dambrós/PSB também se manifestaram favoráveis ao requerimento.

O caso Monique

Durante o período das Eleições 2020, chegaram até as redes sociais áudios da professora Monique Varella Emmer. Nas gravações, a profissional de educação promove discursos de ódio contra pessoas que se identificam com políticas de direita e a até então candidata a vice-prefeita Paula Ioris/PSDB (hoje, eleita).

DELIBERAÇÃO SOBRE O REQUERIMENTO 04/2020

Vereador - Partido – Voto

ALEXANDRE BORTOLUZ PP Sim

CLOVIS XUXA PTB Sim

ELISANDRO FIUZA Republicanos Sim

ESTELA BALARDIN PT Sim

FELIPE GREMELMAIER MDB Sim

JULIANO VALIM PSD Sim

MARISOL SANTOS PSDB Sim

MAURÍCIO MARCON NOVO Sim

RAFAEL BUENO PDT Sim

RENATO OLIVEIRA PCdoB Sim

SANDRO FANTINEL PATRIOTA Sim

ZÉ DAMBRÓS PSB Sim

12/01/2021 - 11:31
Assessoria de Imprensa
Câmara Municipal de Caxias do Sul

Editor: Vania Espeiorin - MTE 9.861
Redator: Lucas de Souza Marques
Maurício Marcon, do NOVO, é um dos autores do requerimento e fez a leitura do documento na sessão.

Maurício Marcon, do NOVO, é um dos autores do requerimento e fez a leitura do documento na sessão.

Crédito: Letícia Kreling