Bandeira valoriza ação na fraude dos parquímetros

Vereador do PP abre perspectiva do crime ter mais pessoas envolvidas

Falando no Grande Expediente da sessão ordinária desta quinta-feira (20), o vereador Arlindo Bandeira/PP manifestou seu desconforto com a informação divulgada na mídia de que funcionários da empresa que administra o estacionamento pago nas ruas da cidade foram presos por fraude nos parquímetros. Sua revolta é maior ainda por saber que parte dos recursos arrecadados deveria ser destinada a programas de assistência social do município.

Ao lamentar o episódio, o parlamentar dirigiu seu pronunciamento à valorização do trabalho executado pelos órgãos de segurança do município que, com inteligência, conseguiram identificar detalhes deste golpe praticado por funcionários da Rek Park. Em seu ponto de vista, a fraude ainda alcançará outras pessoas envolvidas, razão para que se fique atento aos desdobramentos.

A abordagem de Arlindo Bandeira suscitou vários apartes, começando pelo vereador Chico Guerra/PRB, na mesma linha de parabenizar os órgãos de segurança, lembrando o apoio do prefeito à investigação e à ação adotada. O vereador Rafael Bueno/PDT destacou especialmente a atuação do Ministério Público no episódio. O vereador Elisandro Fiuza/PRB, além de reconhecer o papel dos órgãos de segurança, sugeriu encaminhar pedido de informações sobre a atuação da Rek Park.

Em seu aparte, o vereador Alberto Meneguzzi/PSB trouxe informações sobre o contrato do município com a Rek Park, realçando compromissos em vigor como necessidade de prestar conta de sua arrecadação a cada seis meses, considerando que parte desta receita é destinada aos programas de assistência via Fundação de Assistência Social (FAS) e, inclusive à Secretaria Municipal dos Transportes, para abater do valor da tarifa de ônibus. E revelou que em 2015 o faturamento da Rek Park foi de R$ 1,2 milhão.

O último aparte foi concedido ao vereador Kiko Girardi/PSD, que falou de experiências de abuso e a intolerância assumido por parte da estrutura de fiscalização do estacionamento. Kiko alertou para um item do contrato que exigia fixação de listas nos parquímetros, informando casas de comércio das proximidades autorizadas a vender cartões de estacionamento, o que não é cumprido.

20/04/2017 - 11:33
Assessoria de Imprensa
Câmara Municipal de Caxias do Sul

Editor: Paulo Cancian - MTE 3.507
Redator: Paulo Cancian - MTE 3.507
Parlamentar destacou que golpe prejudica ações sociais

Parlamentar destacou que golpe prejudica ações sociais

Crédito: Matheus Teodoro