Legislativo questiona Executivo sobre programa de segurança

Iniciativa de Paula Ioris pede informações relativas à adesão a projeto do Estado

Por iniciativa da vereadora Paula Ioris/PSDB, o Legislativo aprovou por unanimidade pedido de informações ao Executivo sobre a adesão do Município ao programa Sistema de Segurança Integrada (SIM) do Governo do Estado.

Para justificar a solicitação, a tucana, que preside a Comissão Especial Temporária para o Enfrentamento da Violência, fez considerações. O documento destaca que Caxias do Sul vivencia uma situação assustadora de violência e criminalidade, leva em conta os índices de homicídios e a situação dos presídios, e considera o Decreto Estadual que institui o SIM com os municípios. A parlamentar requer ao Executivo:

  1. Informar se oficiou à Secretaria de Segurança Pública do Estado do Rio Grande Do Sul requerendo a adesão do município de Caxias do Sul ao SIM/RS;
  2. Se já o fez, informar data e número do ofício;
  3. Se não o fez, explicite Vossa Excelência, detalhadamente, os motivos.

Em sua manifestação na sessão, Paula Ioris ressaltou que seu pedido não pode virar polêmica, mas encontrar solução. “Sucessivamente, o tema segurança vem para a pauta. Não há saída se não trabalharmos de forma integrada. Vem tarde esse decreto. Caxias não pode ser uma ilha. Esse pedido de informação é para a segurança ser prioridade”, declarou a vereadora, que em redes sociais foi atacada e ofendida, sendo acusada de denunciar o Executivo por ele não aderir ao SIM.

“Apenas informei o fato. Fui mandada até lavar louça. Nosso fato sempre será pelo bem da cidade”, disse a parlamentar.

Em aparte, o vereador Elói Frizzo/PSB informou que antes da Sessão Ordinária escutou no rádio o secretário municipal da Segurança e Proteção Social, Francisco Mallmann, anunciar que não tinha conhecimento do programa do governo estadual, mas que o município vai aderir.

Na sequência, vários parlamentares se solidarizaram a Paula Ioris pelas ofensas por ela recebida em rede social.

“Lamento por essa legião de imbecis que ofenderam a vereadora. Isso só vai acabar quando os veículos de comunicação forem processados por não limitarem comentários preconceituosos”, afirmou Alberto Meneguzzi/PSB.

Prof. Paulo Périco/PMDB disse que as ofensas partem de pessoas que “se acobertam atrás das telas dos computadores e dos celulares, mas não vêm aqui no plenário ou nos nossos gabinetes. Os convido para virem conhecer nosso trabalho”.

Adiló Didomenico/PTB  disse que há uma rede de internautas de apoio à Administração Municipal que age com ataques quando o tema não lhes convém.

Rafael Bueno/PDT ressaltou o fato das ofensas serem mais graves por serem dirigidas a uma mulher. Questionou se os autores fariam se fosse contra uma filha ou esposa.

Flávio Cassina/PTB revelou que está processando um internauta que em rede social o acusou de receber propina para encaminhar um pedido de informações ao Executivo.

 

20/04/2017 - 10:27
Assessoria de Imprensa
Câmara Municipal de Caxias do Sul

Editor: Clever Moreira - 8697
Redator: Clever Moreira - 8697
Vereadores também trataram sobre ofensas em rede social

Vereadores também trataram sobre ofensas em rede social

Crédito: Matheus Teodoro