Câmara Municipal entrega Parlavox à comunidade

Plataforma multimídia foi lançada à imprensa e está disponível

O registro e a divulgação de pronunciamentos de vereadores no plenário da Câmara Municipal de Caxias do Sul entraram em uma nova era neste 7 de abril. No Dia do Jornalista, o Legislativo apresentou à imprensa e disponibilizou no site camaracaxias.rs.gov.br o Parlavox. Produzida por profissionais da taquigrafia, informática e comunicação da Casa, a plataforma multimídia oferece vídeo, áudio e textos de discursos.

O lançamento ocorreu pela manhã, com programação especial. Em parceria com a Associação Riograndense de Imprensa (ARI) - Seccional Serra Gaúcha, o parlamento promoveu uma edição do Câmara Convida. Profissionais de imprensa de Caxias do Sul, Farroupilha, São Marcos, Monte Belo do Sul e Coronel Pilar conheceram o funcionamento do legislativo e viram a apresentação do Parlavox.

Primeiro, o grupo foi recepcionado na sala de reuniões pelo presidente Felipe Gremelmaier/PMDB, o vice-presidente Alberto Meneguzzi/PSB, o presidente da Ari Serra Gaúcha, Evandro Fontana; o chefe de Comunicação, Paulo Cancian, os vereadores Gustavo Toigo/PDT e Paulo Périco/PMDB e outros servidores.

“Parabenizo os jornalistas pelo seu dia, que também é especial por lançarmos uma ferramenta feita por profissionais de várias áreas do Legislativo. O Parlavox é um projeto muito bem trabalhado, que faz parte das mudanças da comunicação da Câmara e remodelação da TV Câmara. Tudo isso pela agilidade na divulgação das informações e transparência parlamentar”, explicou Felipe Gremelmaier.

Em seguida, os convidados percorreram o prédio para conhecer os setores administrativos, legislativos, gabinetes e outras dependências. Por último, ocuparam o plenário, onde assistiram ao lançamento do Parlavox. A plataforma e seus recursos foram apresentados por Milena Bartelle, chefe do Setor de Registro e Revisão de Anais;  Etore Tonani, taquígrafo coordenador do projeto Parlavox; Davi Martins, chefe do Setor de TI; Eliana Tedesco, chefe da assessoria Legislativa; e Eduardo Reis, chefe do Centro de Memória.

O grupo mostrou e destacou os vários recursos que o Parlavox oferece à imprensa, aos funcionários da Casa e ao público em geral. De seu computador, tablete, celular e outras plataformas digitais, o cidadão agora tem acesso aos vídeos, textos, áudios dos pronunciamentos, tão logo eles ocorram nas sessões ordinárias. Também é possível acompanhar trâmite de projetos de leis e outras proposições, portal da transparência, legislações vigentes, banco de memória de documentos e coleções de jornais, entre outras informações.

Na condução da visita, Alberto Meneguzzi destacou:
“Hoje, tudo o que se fala em jornalismo, fala da necessidade de transparência, porque é preciso mostrar que a informação é verdadeira. Daí a importância dessa nova ferramenta”.

O presidente da ARI Serra Gaúcha avaliou:
“Ressalto o ineditismo da Câmara, de juntar profissionais de áreas diferentes para construir essa ferramenta tão útil para jornalistas e para a comunidade. O Parlavox dará mais transparência ao que acontece no Legislativo, porque muitos profissionais não podem acompanhar as sessões”.

No encerramento, o chefe da Comunicação concluiu:

“O Parlavox é um momento especial, que compartilha talentos da Casa. Pela primeira vez, a Câmara abre suas portas à imprensa, pela transparência da nossa comunicação que, conforme acordamos com os vereadores, trabalha com critérios jornalísticos. O critério político não é o determinante, mas sempre levando em conta a preocupação de dar espaço igual a todos os parlamentares”.

 

 

A EVOLUÇÃO DOS REGISTROS DA CÂMARA

 

1892 – As reuniões do parlamento começam a ser registradas de forma manuscrita no “Livro para o lançamento das atas do Conselho Municipal de Caxias”.

1947 – Promulgada a Constituição de 1946, retomam-se os trabalhos legislativos, interrompidos durante o exercício do Estado Novo (1937-1945). Em 29 de novembro, 11 vereadores eleitos são diplomados para compor a primeira legislatura da Câmara Municipal. A primeira sessão é datilografada, método que viria a ser utilizado até 1974.

1974 – Na VII Legislatura, a sessão ordinária de 1º de março marca o início de uma nova forma de registro das atividades plenárias. Implanta-se o serviço de taquigrafia, com confecção dos anais registrando a íntegra das ações parlamentares.

1991 – Encerra-se o registro de anais por meio de datilografia.

1992 – A Câmara Municipal adota o sistema digital para o registro dos documentos parlamentares. A partir de gravações dos áudios, o setor de taquigrafia transcreve anais.

2012 – A partir do trabalho do Setor de Registros e Revisão de Anais, os pronunciamentos são disponibilizados em formato digital, no portal do Centro de Memória.

2017 – O Legislativo dá importante passo no registro, transparência e divulgação seu trabalho. Lança a plataforma Parlavox, no site camaracaxias.rs.gov.br. Ele disponibiliza vídeo, áudio e texto dos pronunciamentos dos parlamentares.

 

07/04/2017 - 15:46
Assessoria de Imprensa
Câmara Municipal de Caxias do Sul

Editor: Clever Moreira - 8697
Redator: Clever Moreira - 8697
Profissionais da imprensa participaram do Câmara Convida

Profissionais da imprensa participaram do Câmara Convida

Crédito: Matheus Teodoro